Terça-feira 28 de Setembro, 2021
pesquisa
# # # # # # # # # #
#
Newsletter
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu e-mail.
Área reservada |
Notícias



CIM Alto Minho reforça capacidade operacional das corporações de bombeiros da região com entrega de kits
2021-05-05


A Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho), em articulação com os dez municípios do Alto Minho e com a Federação de Bombeiros do Distrito de Viana do Castelo, vai entregar nos próximos dias, às 12 corporações de bombeiros do Alto Minho, kits de apoio a operações de resgate e salvamento em grande ângulo e kits para intervenção em derrames de matérias perigosas. 

O anúncio foi formalizado na reunião do Conselho Intermunicipal, realizada no dia 04 de maio, data que assinala o Dia Internacional do Bombeiro, onde estiveram presentes, além dos presidentes da CIM e dos Municípios do Alto Minho, o presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Viana do Castelo, Germano Amorim, e o Comandante Operacional Distrital de Viana do Castelo, Marco Domingues.

Os equipamentos adquiridos vêm reforçar a capacidade operacional das corporações de bombeiros do Alto Minho, tendo implicado um investimento global de cerca de 165.000 euros.
A entrega dos kits vem no seguimento da implementação do projeto “ARIEM+ // Assistência Recíproca Inter-regional em Emergências e Riscos Transfronteiriços” (0373_ARIEM_PLUS_6E) aprovado pelo INTERREG VA, Espanha-Portugal 2014-2020 // http://www.ariemplus.eu/pt, cujo objetivo geral passa pela definição de um plano territorial de emergências transfronteiriças e pela criação de uma rede unificada de comando operacional para a gestão de recursos humanos e materiais em situações de risco que permitam, em conjunto, melhorar a gestão e a coordenação efetiva de emergências. 

Para o presidente da CIM Alto Minho, José Maria Costa, o reforço da capacidade operacional com a entrega destes equipamento é fundamental, quer ao nível da gestão de riscos no âmbito das infraestruturas viárias, com a entrega de 4 Kits de apoio devidamente preparados para dar resposta em caso de acidentes que envolvam o transporte de matérias perigosas, quer também nos territórios de montanha onde a prática de desportos na natureza e atividades radicais é cada vez mais dinamizada e procurada, pelo que estes 8 Kits de resgate e salvamento em grande angulo reforçam, em conjunto com as equipas de proteção e socorro já instaladas no território, a capacidade de resposta em caso de acidentes.

Já para o comandante Operacional Distrital, Marco Domingues, este conjunto de equipamentos vai contribuir para um melhor desempenho operacional das corporações de bombeiros na resposta à emergência. “Com a crescente oferta e procura associadas ao turismo de natureza no Alto Minho, sendo os espaços naturais zonas de risco elevado devido às suas características, os corpos de bombeiros têm de ter uma melhor preparação e dotação de equipamento, para que, em caso de acidente em áreas remotas, possam socorrer as vítimas nas melhores condições e em segurança para os próprios bombeiros”, destacou. Por outro lado, observado o crescimento das zonas industriais, assim como um maior fluxo de tráfego rodoviário de transportes de matérias perigosas, particularmente nos principais eixos de acessos a estas zonas, para Marco Domingues “é fundamental dotar os corpos de bombeiros com equipamentos adequados que, seguramente, vão garantir uma primeira intervenção mais apropriada no controlo de acidentes com matérias perigosas.” 

Por sua vez, o presidente da Federação de Bombeiros, Germano Amorim, referiu que o distrito de Viana do Castelo tem sido muito procurado ao nível do turismo de natureza, aumentando assim o risco de ocorrências relacionadas com a necessidade de socorro e resgate de vítimas em locais de difícil e muito difícil acesso. “Os trilhos que milhares de turistas percorrem anualmente constituem verdadeiros desafios ao seu hipotético salvamento, muitas vezes com necessidade de grande ângulo, fazendo cada vez mais sentido apostar em formação especializada nesta área e, obviamente, em aquisição de material para levar a cabo cada missão”, salientou. Referiu ainda que, pelo número crescente de zonas industriais e de grandes e médias indústrias no distrito, onde são manipuladas e usadas matérias perigosas, e pela existência de diversas vias de ligação a Espanha, onde diariamente transitam centenas de veículos com diversas matérias perigosas, o risco de acidentes com este tipo de matérias aumenta exponencialmente, quer nas indústrias, quer com os veículos que as transportam. Surge assim, de acordo com Germano Amorim, a necessidade de também nesta área formar o melhor possível e adquirir material para o efeito.

Como nota final, importa referir que se trata de um projeto desenvolvido em parceria com a Agência Galega de Emergências (AXEGA), na qualidade de beneficiário principal, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), a Direção Geral do Meio Natural - Junta de Castilla e León, a Guarda Nacional Republicana (GNR) e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).


Os nossos sites