Sábado 25 de Junho, 2022
pesquisa
# # # # # # # # # #
#
Newsletter
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu e-mail.
Área reservada |
Notícias



“Alterações Climáticas no Alto Minho”: CIM promoveu reflexão conjunta em torno da temática dos riscos num contexto de mudança climática no Alto Minho
2022-06-01



Realizou-se ontem, dia 31 de maio, em Caminha, o segundo seminário do projeto "INFORISK: Informar sobre os riscos associados às alterações climáticas no Alto Minho", subordinado à temática "Alterações Climáticas no Alto Minho: Informar para (re)agir". 

Dinamizado pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho), em colaboração com os municípios seus associados, no âmbito do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR), o INFORISK é um projeto inovador em termos de comunicação, capacitação de agentes do território e sensibilização do público em geral, no qual se inclui a comunidade escolar, para os riscos associados às alterações climáticas no Alto Minho.

Por este motivo o palco escolhido para este segundo seminário foi a Escola Básica e Secundária de Caminha, onde Rui Miguel Lages, vice-presidente da Câmara Municipal de Caminha, começou por enaltecer a CIM Alto Minho pela iniciativa e reforçou a importância deste tipo de projetos. 

De acordo com Bruno Caldas, primeiro secretário da CIM Alto Minho, este projeto tem como “finalidade informar sobre os riscos potenciados pelas alterações climáticas no território do Alto Minho, pretendendo descodificar o conhecimento técnico e transformá-lo em informação acessível e percetível a todos, para que fiquem capacitados para atuar enquanto agentes de mudança no atual contexto de emergência climática”. “O objetivo é capacitar e disponibilizar informação e ferramentas para que todos possam agir como agentes da proteção civil”, reforçou.

Isabel Estrada Carvalhais, deputada no Parlamento Europeu, foi uma das oradoras convidadas para este seminário, sublinhando também a importância de projetos como este na “criação de uma consciência ampla e esclarecida sobre os riscos decorrentes das alterações climáticas e o modo como podem ser mitigados e contrariados”.

O programa do seminário incluiu uma apresentação sobre a Estratégia Nacional para uma Proteção Civil Preventiva 2030, proferida por Carlos Mendes, diretor de Serviços de Riscos e Planeamento da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), e um painel que contou com as intervenções e testemunhos de Bruno Caldas; Isabel  Sousa, sócia cooperante da Explore Iberia; Joana Nogueira, docente/ investigadora da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima (ESAPL/IPVC) e Rafael Oliveira, curador do grupo de trabalho da gastronomia da Carta Europeia do Turismo Sustentável do Alto Minho (CETS do Alto Minho). Durante mais de duas horas, num debate moderado por Rui Miguel Graça, diretor da Rádio Antena Minho e chefe de redação do Correio do Minho, estes intervenientes afloraram a temática dos riscos potenciados pelas alterações climáticas na ótica das comunidades, das empresas de turismo, da gastronomia e da enologia.

Para além do enquadramento, propósito e outputs deste projeto, foi reforçada a importância do indivíduo, enquanto agente de mudança e de proteção civil; da valoração, valorização e consumo de produtos endógenos/autóctones, como formas de ação climática, potenciadoras de uma maior diferenciação, demarcação e desenvolvimento territoriais; da eficiência do uso dos recursos (água, matéria e energia), enquanto garantia da sustentabilidade e resiliência do território; e da valorização dos serviços de ecossistema, enquanto mecanismo indutor de uma maior coesão, equidade e competitividade territorial. 

Os alunos da escola anfitriã colaboraram ativamente na organização e logística associada a este seminário, tendo inclusivamente questionado os presentes acerca do impacto económico das alterações climáticas no território do Alto Minho e sobre qual seria o papel dos jovens em matéria de ação climática. 

A jornada de trabalho terminou com a intervenção de Maria Esteves, diretora do agrupamento de escolas do concelho de Caminha, cujo testemunho permitiu corroborar o papel de relevo que a comunidade escolar desempenha e desempenhará, também, em matéria de ação climática.

Em paralelo, esteve patente a exposição interativa INFORISK, bem como a versão resumida do documentário com o mesmo nome, ambos produzidos ao abrigo deste projeto.

O seminário encontra-se disponível online, através do link https://www.facebook.com/watch/?v=414440567208724.



Os nossos sites